16 de dezembro de 2013 - Leave a Response

Precisa de serviços em:
• webdesign • design gráfico
• ilustração
• conteúdo e comunicação
• marketing digital
• pacote Office?

Fale com Wallace Vianna, designer freelance (autônomo) no Rio de Janeiro, RJ.

Anúncios

Dicas para vendas online

29 de junho de 2018 - Leave a Response

Loja e sistema de pagamentos

Existem muitas formas de se vender online: de sites que apenas intermediam pagamentos, até lojas (vitrines) online com sistemas de pagamentos. Mas mesmo assim, certos cuidados devem ser tomados, de acordo com o sistema de venda, políticas do site que intermedia pagamentos, etc.

Uma loja online na verdade é uma vitrine de produtos/serviços com sistema de pagamentos. Você vai pagar tanto pela vitrine quanto pelo serviço de intermediação de pagamentos, que garante  reembolso caso algum problema ocorra durante a venda.
P.ex., uma loja online pode cobrar de 10% a 16 % por cada venda, enquanto num sistema de pagamentos as tarifas podem chegar a 7%.

Prazo de reembolso

  • Todo sistema de pagamentos embute um tempo entre o depósito do comprador e o pagamento ao vendedor, que pode ser de 7 a 30 dias.  Leve isso em conta na hora de fazer seu orçamento pessoal mensal.
  • Quanto menor o prazo de reembolso, maiores as taxas cobradas ao vendedor.

Fretes

O frete pode ser cobrado de acordo com as taxas dos correios ou empresa de entregas. Até onde me foi informado, o Mercado Entregas adota um sistema em que abaixo de valor (R$ 120,00) o frete é dividido entre vendedor e site de vendas. A partir daí o frete não é cobrado do vendedor. Por isso existem algumas soluções para esse problema:

  • pesar se vale usar o sistema de envio do site de pagamentos, que pode ter regras desvantajosas para sua venda de valor pequeno; usar frete próprio e fazer seu cálculo em cada venda.
  • embutir o preço do frete no produto a ser vendido (um valor estimado, R$ 10,00 em compras de baixo valor, sem desconto no frete)
  • priorizar vendas para estados próximos (facilitando cálculo prévio do frete).
  • O que fazer se a venda no site de terceiros não tiver boa taxa de frete: como normalmente frete só é vantajoso com valor alto, e o site pode ter a política de só considerar frete grátis em produtos de uma única categoria, tente fazer o seguinte: cancele a venda desvantajosa, crie um kit/conjunto com os produtos que o cliente adquiriu (tudo em uma única categoria), dê um desconto ou brinde, ofereça ao cliente esse kit e refaça a compra.
  • se for comprador, pesquise: um mesmo produto pode ser oferecido se não com valor, com frete mais barato, no mesmo site de vendas ou fora dele.
  •  deixar bem claro ao cliente que o prazo de entrega é estipulado pelos correios e que em caso de extravio, roubo ou outros imprevistos, a mercadoria está coberta por seguro.

 

Making of / processo: arte na rua

19 de junho de 2018 - Leave a Response

Making of/processo de Rogério Puhl, ilustrador, de mural feito em rua da Itália.
O nome da arte é Bataglia e pretende ser uma série de murais chamada “Nunca desista de seus sonhos”.

Observem que aos primeiros traços do desenho se somam as silhuetas escuras/pretas, que serão a base para a pintura dos volumes e detalhes, em branco (semelhante ao que se faz ao desenhar com lápis branco sobre papel preto).

 

 

Ilustração: Wally Wood

7 de dezembro de 2017 - Leave a Response

Segue matéria (crítica) que comenta um legado do ilustrador norte-americano Wally Wood: 22 quadrinhos que sempre funcionam. Uma pequena aula de desenho, para histórias em quadrinhos.

Faço apenas duas correções à matéria:
1) Segue abaixo a imagem original no traço de Wood:

wally-wood-22-paineis-pt

2) tradução de uma regra geral de trabalho de Wood:

  • Nunca desenhe o que você pode se apropriar;
  • Nunca se aproprie do que você pode traçar;
  • Nunca trace o que você pode (foto)copiar;
  • Nunca fotocopie o que você pode (re)cortar e colar

Atualização do WordPress.com

19 de outubro de 2017 - Leave a Response

O WordPress.com (só na versão móvel) oferece opção de adicionar novas mídias: conteúdo do Google Drive e botão de pagamentos.

wordpress.com-atualizacao

Inserir conteúdo de Google Drive no site do WP.com depende do utilizador inserir login e senha do Google para acessar esse conteúdo; o botão de pagamento permite utilizar sistema de pagamentos pelo PayPal, mas apenas para usuários pagos do WordPress.com.

O lado negativo é que estas opções novas não estão disponíveis na versão “antiga”/tradicional do WP.com, uma pena, pois a versão móvel tem facilidades para quem acessa pelo celular  e tablet, mas não possui muitas opções da versão antiga.

Esse tipo de politica – oferecer recursos novos para os usuários migrarem de interface – seria efetivo se todos os recursos da interface velha estivessem presentes na nova. Enquanto isso não ocorre, temos de conviver com essa forçação de barra…

Portfólio: inspiração para cartões de visitas

1 de outubro de 2017 - Leave a Response

O site Graphic Design Junction publica exemplos de cartões de visitas com links para quem desejar comprá-los na internet. Mas o post pode servir de inspiração para quem deseja criar novos cartões, também.

design-junction-cartoes-visitas

 

Freepik faz chamada para profissionais de criação de conteúdo

24 de setembro de 2017 - Leave a Response

O site Freepik, o famoso site de cliparts (imagens vetoriais e mapa de bits/bitmaps) gratuitos e pagos agora está selecionando colaboradores para produção de conteúdo para o site – design gráfico/visual, fotografia, textos técnicos ou tutoriais.
Amostras do que a pessoa interessada faz é exigido para o processo de seleção e eventual posterior contratação, para produção de conteúdo e, é claro, remuneração.

Quem quiser saber um pouco mais e avaliar se vale a pena, acesse este link.

freepik-profissionais-de-conteudo

Novo Google Sites

10 de julho de 2017 - Leave a Response

O Google sempre acompanhando os novos tempos, deu uma roupagem nova nas suas ferramentas/espaços de publicação gratuita. Primeiro foi com o Blogger (ou Blogspot.com) que ficou mais parecido com um CMS como o WordPress; agora o Google Sites que virou uma ferramenta que produz sites responsivos.

Quem usava o saudoso Yahoo Geocities sabe como espaços gratuitos para hospedar páginas na internet pode reunir tanto uma comunidade como empresas ou profissionais.

O Google mantém a versão antiga (ou clássica) e a nova do Google Sites. Apesar de ser uma evolução, no design ele se assemelha a diversos construtores de home-pages ou sites gratuitos na internet, seja como ferramenta de hospedagens de sites ou não.

A diferença é que o Google está unificando os arquivos gerados pelos usuários em todos os seus sites; agora os sites criados no Google Sites fica armazenado no Google Drive do usuário.
Quem sabe um dia todos os conteúdos de todos os sites, blogs, redes sociais do Google ficarão reunidos num único repositório, facilitando a reutilização e compartilhamento pelos usuários.

google-sites-1a

Google sites clássico.

 

google-sites-1b

Modelos do Google site clássico

 

google-sites-2a

Google Sites novo

 

google-sites-2b

Modelos do novo Google Sites.

Designer e o MEI (Micro Empreendedor Individual)

2 de junho de 2017 - Leave a Response

simples-nacionalmei

Resolvi atualizar um link antigo deste blog (e que teve de ser removido, pois o link caducou de velho).

Designers – e qualquer profissional liberal ou autônomo – pode se cadastrar como MEI; a questão é que nem todas as atividades estão incluídas no MEI – design por exemplo, é classificado como atividade intelectual. Assim sendo, o designer pode procurar com atenção qual(is) atividade(s) podem se encaixar na sua atividade e se registrar como tal.

O link da matéria com detalhes precisos, que me orientou nessa postagem é do Central do MEI.

O link do site para se cadastrar como MEI é o da Receita Federal  (cuidado que tem sites de profissionais/empresas privadas que cobram uma boa grana para fazer o mesmo).

Boa sorte!

Crowd Sourcing: mão de obra coletiva

20 de maio de 2017 - Leave a Response

images

Sites de Crowd Sourcing/CS (mão de obra coletiva) são voltados pra projetos e serviços de design, TI, marketing e até construção civil.

Eles intermediam serviços (como o PayPal ou o PagSeguro intermediam pagamentos) permitindo clientes encontrarem profissionais freelance/autônomos e vice-versa.

Continue lendo »

Ferramentas para design gráfico e infográficos

14 de janeiro de 2017 - Leave a Response

Hoje em dia a internet está sendo, mais que uma mídia, uma plataforma de comunicação. Assim como o Google aposta suas fichas nisso com o Google Chromebook (um laptop com sistema operacional próprio, conectado a internet, onde todos as ferramentas de trabalho estção online), a cada dia surgem novas ferramentas para trabalho online.
Cito aqui duas, com versão gratuita e paga, para quem precisa produzir conteúdo online a partir de modelos prontos ou do zero, sem ter ferramenta instalada no seu aparelho (basta estar conectado a internet):

Piktochart

piktochart-ferramenta-online

Piktochart.com permite criar gráficos e infográficos online para fazer apresentações bonitas, com interface do tipo drag-and-drop/arrastar-e-soltar (ou WYSIWYG, What You See Is What You Get, para a galera técnica).

Prós:

  • fácil de usar, ferramenta online.
  • boa biblioteca de ícones, gráficos, imagens de fundos; fácil inserção de mapas-mundi e vídeos na internet.

Contras:

  • interface em inglês.
  • Design de modelos prontos bons, mas dentro do esperado.

Canva

canvas-ferramenta-online

canvas-ferramenta-online-2

Canva.com é um a ferramenta que permite fazer designs para diversas finalidades: de uma postagem para rede social até uma apresentação ou publicação com várias telas ou páginas.

Prós:

  • fácil de usar, interface limpa, com o mínimo de funções e que reproduz um programa instalado (undo/desfazer no teclado, p.ex.).
  • permite salvar trabalhos feitos como imagem plana.
  • Site em português.
  • Modelos de designs muito bons.

Contras:

  • pode ser um pouco lento, durante o uso.
  • a interface de uso tem suas convenções, como p.ex., um objeto que está acima/sobre os demais (mesmo tendo interior vazado/transparente) impede à seleção dos objetos que ficam abaixo/atrás, até ser  enviado “para trás”; lembra a opção do Corel Draw de “tratar todos objetos como preenchidos”.

Nas versões gratuitas, a marca do site aparece em todos os layouts produzidos, que podem ser baixados em forma de imagem.